Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Hospital Sírio-Libanês, um dos mais conceituados de São Paulo, afastou 104 funcionários por conta do coronavírus. Dentre eles, estão médicos, enfermeiros, funcionários de limpeza e técnicos. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (30) pela assessoria de imprensa do hospital.

Até este domingo (29), o número era de 90 trabalhadores. O hospital diz que adotou, de forma preventiva, a medida de testar com frequência os profissionais que atuam na linha de frente no combate à doença ou aqueles que apresentaram sintomas.

“Não há evidências de que eles foram infectados no hospital, uma vez que já há transmissão comunitária da doença no País”, informou o hospital, de acordo com o portal Terra.

São Paulo continua sendo o estado que concentra o maior número de casos do novo coronavírus no país, de acordo com informações oficiais do Ministério da Saúde. São 1.451 infectados entre os 4.371 casos confirmados no Brasil, até o momento. O país também registra 141 mortes, com 98 somente em São Paulo.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •