Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tenho testemunhado pessoas próximas a mim muito preocupadas com a proliferação do coronavirus. Algumas, inclusive, a beira do desespero. Por isso, decidi fazer algumas considerações sobre o momento difícil que atravessamos. Não sou médico e nem especialista em infectologia. Todavia, ante à enxurrada de informações que chegam a todo momento até nós, acabamos assimilando alguns procedimentos que consideramos razoáveis e úteis para a nossa própria vida e para a de pessoas que convivem conosco. Aproveito a oportunidade para compartilhá-los aqui na minha Coluna. Penso que podem, de alguma maneira, ajudar no entendimento da realidade que se nos apresenta, além de colocar um pouco de luz em meio a tanta escuridão e obscuridade.

Em primeiro lugar, é importante compreender que toda infecção virótica (a do coronavírus não é diferente) se propaga por meio de “ondas” criadas a partir de determinados focos de infecção. Assim o é com a gripe comum, com o sarampo, com a dengue, com a tuberculose e com quaisquer outras formas de infecção por vírus.

Como todo mundo sabe, o primeiro grande foco de infecção da doença deu-se na China. Em seguida, deslocou-se para a Europa e agora, mais recentemente, começa a bater às portas do continente americano. O deslocamento da “onda virótica” está ocorrendo, portanto, do oriente para o ocidente. Ou seja, mais cedo ou mais tarde ela iria chegar até nós. Isso só não ocorreria se as medidas de prevenção dos países que estavam na trajetória da propagação do vírus fossem eficazes o bastante para o anular. Tal, contudo, não ocorreu. Veja a situação da Itália, do Irã e de alguns outros países europeus.

Há 03 (três) momentos numa infecção por vírus: o crescimento da taxa de infectados (primeiro momento), o instante em que a taxa de infectados alcança o nível máximo (segundo momento) e a queda no número de infectados (terceiro momento). As medidas de prevenção objetivam atenuar o primeiro momento, isto é, fazer com que ele perca força. Essa é a estratégica. Se elas forem eficazes o suficiente, o número máximo de infectados será menor fazendo com que a propagação se estabilize (segundo momento) e daí por diante caia (terceiro momento). O quadro atual da Europa e do continente americano situa-se no primeiro momento sendo que na Europa a propagação do vírus já se encontra num estágio mais avançado. No continente americano, contudo, essa propagação ESTÁ NO COMEÇO. A boa notícia (muito importante saber nesse momento delicado que atravessamos) é que o foco da infecção original (China e alguns outros países asiáticos) está em declínio (terceiro momento). Ou seja, A TAXA DE NOVOS CASOS TEM CAÍDO, inclusive, em Wuhan, origem da pandemia.

Feitos esses comentários, passo a ressaltar alguns pontos que reputo como importantes para todos nós:

1 – A CHEGADA DO COVID-19 ATÉ NÓS, BRASILEIROS, DEVE SER TOMADA COMO ALGO NATURAL. ELE IRIA CHEGAR, MAIS CEDO OU MAIS TARDE. A PROPAGAÇÃO DOS VÍRUS FUNCIONA COMO ONDAS MARINHAS: ELAS NASCEM PEQUENAS EM ALGUM LUGAR DO OCEANO. EM SEGUIDA, NA MEDIDA EM QUE ELAS SE APROXIMAM DOS LITORAIS, FICAM CADA VEZ MAIS ENCORPADAS. ALGUMAS CRESCEM SIGNIFICATIVAMENTE. EM RAZÃO DISSO, A CHEGADA DO VÍRUS NÃO DEVE TRAZER PÂNICO OU DESESPERO, DADA SUA PREVISIBILIDADE. AO CONTRÁRIO. A INSTALAÇÃO DO VÍRUS ENTRE NÓS DEVE NOS ESTIMULAR A AGIR INTELIGENTEMENTE CONTRA ELE, SEGUINDO AS ORIENTAÇÕES MÉDICAS QUE ESTÃO AGORA POR TODA PARTE.

2 – DENTRE AS MEDIDAS PREVENTIVAS UMA, EM ESPECIAL, TÊM SE MOSTRADO BASTANTE EFICAZ: O ISOLAMENTO, A RECLUSÃO VOLUNTÁRIA OU A MINIMIZAÇÃO DE CONTATOS SOCIAIS. É COM ESSA MEDIDA (além de outras: lavar as mãos, uso de máscaras, etc.) QUE A CHINA E A COREIA DO SUL TÊM CONSEGUIDO REDUZIR O NÚMERO DE NOVOS INFECTADOS. POR ISSO, É MUITO IMPORTANTE QUE EVITEMOS GRUPOS DE PESSOAS, TAIS COMO, SHOPPINGS, CINEMAS, SHOWS, AEROPORTOS OU EVENTOS DO GÊNERO.

SE EU PUDESSE, DECRETARIA IMEDIATAMENTE A SUSPENSÃO DE TODAS AS ATIVIDADES NO PAÍS, EXCETO, SERVIÇOS ESSENCIAIS (segurança e saúde, por exemplo); MESMO NO MOMENTO PRESENTE EM QUE APRESENTAMOS TAXAS BAIXAS DE INFECTADOS. O VÍRUS É TRASMITIDO DE PESSOA PARA PESSOA. QUANTO MAIS EVITARMOS CONTATOS PESSOAIS, MELHOR, INCLUSIVE, PARA O DIAGNÓSTICO DE NOVOS CASOS NAS FAMÍLIAS. ISSO EVITARIA QUE ALGUM PORTADOR DO VÍRUS O TRANSMITISSE SEM SABER QUE ESTAVA CONTAMINADO, DIFICULTANDO O MONITORAMENTO DAS PESSOAS QUE COM ELE TIVESSE TIDO CONTATO. MAS DEIXEMOS ISSO PARA AS AUTORIDADES MÉDICAS E SANITÁRIAS TRATAREM.

É IMPORTANTE ASSINALAR QUE O LUGAR MAIS SEGURO NESSE MOMENTO É NO LAR, JUNTO COM SUA FAMÍLIA. NÃO SE ESQUEÇA DISSO. O MOMENTO, COMO DISSE, É DE RECLUSÃO, DE CONFINAMENTO, DE ISOLAMENTO.

3 – O NÚMERO DE INFECTADOS PODERÁ AUMENTAR NAS DUAS PRÓXIMAS SEMANAS, MAS A TAXA DE INFECÇÃO PODERÁ NÃO SER SIGNIFICATIVA. TUDO DEPENDERÁ DA ATITUDE QUE TOMARMOS INDIVIDUALMENTE.

É MUITO IMPORTANTE TER CONSCIÊNCIA DISSO PARA NÃO ENTRAR EM DESESPERO. NOSSA LUTA É CHEGAR AO TERCEIRO ESTÁGIO (como comentei anteriormente acima) COM UM NÚMERO MÍNIMO DE INFECTADOS E SEM NENHUMA MORTE.

4 – DESINFETE COM ÁLCOOL GEL TODOS OS APARELHOS QUE VOCÊ MANTÉM NORMALMENTE CONTATO COM AS MÃOS: COMPUTADORES, CELULARES, MAÇANETAS DO CARRO, VOLANTE DO CARRO, ALAVANCA PARA PASSAGEM DE MARCHA, DENTRE OUTROS. ISSO TAMBÉM AJUDA MUITO NESSE MOMENTO.

5 – NÃO EXPONHA SEUS IDOSOS. NÃO PERMITA QUE OS IDOSOS SAIAM DE CASA, A NÃO SER NOS CASOS INEVITÁVEIS. COMO SABEM, OS IDOSOS SÃO UMA FAIXA VULNERÁVEL DA POPULAÇÃO. UMA CONTAMINAÇÃO NA TERCEIRA IDADE PODE TRAZER UM QUADRO DIFÍCIL DE SUPERAR.

POR OUTRO LADO, AO RETORNAREM PARA SEUS LARES, PROCUREM HIGIENIZAR AS MÃOS IMEDIATAMENTE, ANTES DE MANTEREM CONTATO COM SEUS IDOSOS. A DICA É EVITAR CONTATOS PESSOAIS DIRETOS COM ELES APÓS O RETORNO PRA CASA. SEM QUE PERCEBAMOS, QUANDO DEIXAMOS O LAR E MANTEMOS CONTATO COM PESSOAS E GRUPOS SOCIAIS NOS TRANSFORMAMOS EM PORTADORES DE VÍRUS E BACTÉRIAS. NOSSOS CORPOS FUNCIONAM COMO VEÍCULOS TRANSMISSORES. ONDE ESTIVERMOS ELES ESTARÃO LÁ TAMBÉM. POR ISSO, É IMPORTANTES NOS “LIMPARMOS”, ELIMINANDO POSSÍVEIS CARGAS VIRAIS QUE SE AGREGARAM AO NOSSO ORGANISMO AO LONGO DO DIA/TRAJETO. TUDO EM RESPEITO AOS NOSSOS IDOSOS (E TAMBÉM A NÓS MESMOS).  POR ISSO, TRATE-OS COMO SE FOSSEM BEBÊS, POIS SEUS ORGANISMOS SÃO FRÁGEIS E DEPENDEM DE CUIDADOS.

6 – NÃO TENHAM MEDO. É MUITO IMPORTANTE UMA ATITUDE POSITIVA AGORA. OLHE O PROBLEMA DE FRENTE. ENCARE-O OLHANDO-O NOS OLHOS. VOCÊ TEM AS ARMAS. BASTA USÁ-LAS. COM ATITUDES SIMPLES VENCEREMOS ESSE APARENTE GOLIAS.

No mais, éoração!!! Nunca deixe de conversar com o Criador!!!

Que Deusabençoe e proteja a todos!!!

Alipio Reis Firmo Filho

Conselheiro Substituto – TCE/AM e Doutorando em Gestão


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •