Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O adolescente de 12 anos que confessou ter matado a menina Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9, foi levado para uma unidade da Fundação Casa, no interior de São Paulo, na noite dessa terça-feira (01/10/2019). A garota foi encontrada morta, no último domingo (29/09/2019), pendurada em uma árvore no parque Anhanguera (SP). As informações são do G1.

O menino vai ficar em internação provisória por 45 dias até que o caso seja esclarecido. Apesar da confissão, a polícia não descarta a participação de outra pessoa no crime. O processo está em segredo de Justiça.

A menina desapareceu em uma festa onde estava com a mãe e o irmão mais novo em um Centro Educacional Unificado (CEU). Imagens de câmeras de segurança mostram Raíssa e o adolescente um ao lado do outro. O menino afirmou ter usado um galho de árvore para matar a menina.

Há laudos a serem concluídos e testemunhas ainda precisam ser ouvidas. “A investigação tem prosseguimento, mas conseguimos obter várias informações da presença do adolescente de 12 anos na cena do crime, além da confissão dele”, afirmou o delegado Luiz Eduardo de Aguiar Maturano.

O garoto e a menina moravam na mesma rua. Nos últimos dias, estavam bem próximos, segundo a vizinhança. Raíssa fazia tratamento para autismo há um ano. A Polícia Civil investiga se ela foi asfixiada e se sofreu violência sexual. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •