Hector Sukari
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na região de Libertad, no Peru, os hospitais entraram em colapso devido ao aumento de casos positivos da covid-19. Até o dia 31 de julho, 25.990 pessoas  nessa região do país testaram positivo. Sendo assim, o oxigênio se tornou um item indispensável para salvar vidas; não somente dentro dos hospitais, mas também fora deles.

Na cidade de Trujillo, no norte peruano, mora Amir Cotrina Sanchez, taxista e membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Ele tem 37 anos, é casado, pai de três filhos e há sete anos é taxista.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, não era possível trabalhar no município de Trujillo. Mais tarde, foi expedida uma norma na qual os taxistas poderiam fazê-lo durante dois dias na semana. Amir optou por apenas um dia, já que o outro dia que lhe concederam era sábado, o qual ele considera um dia santo do Senhor, dia de repouso.

Algum tempo depois de retornar às atividades, ele sentiu sua saúde debilitada, com calafrios, cansaço e em um momento sentiu que lhe faltava oxigênio. Preocupados, seus familiares lhe deram um balão de oxigênio portátil para que pudesse se recuperar. Ele não precisou usá-lo e teve a saúde reestabelecida apenas tomando os medicamentos. Ao melhorar, continuou a trabalhar.

Pronto para salvar vidas

A partir disso, ele decidiu levar artigos de biossegurança, como máscaras, protetor facial, luvas e álcool para vender aos seus passageiros, inovando em seu atendimento e tendo outras opções de renda.

Ao acompanhar as notícias nos diferentes meios de comunicação que na cidade de Trujillo, Sanchez percebeu que muitas pessoas estavam morrendo por falta de oxigênio. Foi nesse momento que ele decidiu levar consigo o balão que não havia usado, para assim ajudar as pessoas quando fosse necessário. “Uma passageira entrou no táxi com problemas respiratórios e não quiseram atendê-la em um hospital. A caminho de outro estabelecimento, a jovem começou a tossir e sufocar. Eu lhe disse: ‘Use este balão de oxigênio’. E ela conseguiu se estabilizar”, compartilha.

Hector Sukari

Até o momento, ele conseguiu ajudar cerca de 38 pessoas. Alguns colegas taxistas também o chamam quando precisam de sua ajuda, que ele dá sem pedir nada em troca. Além disso, ao fazer amizade com cada uma dessas pessoas, ele orava com elas para que se recuperassem rápido; ajudando, assim, o próximo e fortalecendo sua fé em Deus.

Confiança no poder divino

Em certa ocasião, o pastor Rolando Quinteros Zuñiga, com os membros da Igreja, coordenou o evento intitulado “40 dias com o Espírito Santo”, no qual Sanchez participou e aproveitou a oportunidade para pedir que orassem por seus passageiros e seus familiares que estavam com a covid-19. Hoje, essas pessoas estão se recuperando de forma satisfatória.

E é assim que ele sempre carrega voluntariamente balões de oxigênio de emergência em seu trabalho como taxista. Além disso, a empresa onde seu parente comprou o balão fez contato com o taxista para dar-lhe um pacote de balões de oxigênio portátil para que ele possa continuar ajudando as pessoas que muitas vezes precisam urgentemente desse item.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •