Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Luísa Sonza acha “talvez um pouco engraçado” o imenso interesse na sua intimidade. “Imagina você ter um vizinho fofoqueiro. Eu tenho, tipo, milhões de vizinhos fofoqueiros [risos]”, brinca a cantora, que aos 17 anos deixou a cidade gaúcha de Tuparendi e seus 8.000 habitantes, onde era “conhecida como a filha do César [seu pai]”, e hoje, aos 22, tem 20 milhões de seguidores em suas redes sociais —e frequentemente vira assunto na internet. Com informações de F5.

“Sou normal como você, só que as pessoas querem muito saber sobre a minha vida, ou inventam coisas”, afirma ela. “Vivo isso há um tempo, porque represento algo maior. Não sei dizer como é sem ser assim”, segue a jovem, que diz não se deixar afetar por fake news que a envolvam. “Prefiro viver a minha verdade do que a mentira dos outros.”

Luísa voltou a ser alvo de ataques machistas desde o término do seu casamento de dois anos com Whindersson Nunes, em abril de 2020.

Dois meses depois do fim do relacionamento, ela lançou um clipe com o cantor Vitão, o que fez internautas especularem sobre um novo namoro, descontentou fãs de Whindersson, deu pano para manga para teorias sobre traição e gerou uma campanha massiva de avaliações negativas do vídeo no YouTube. Whindersson se manifestou contra a conduta de seus admiradores.

Antes, ela havia sido chamada de “interesseira” por se casar com o youtuber milionário —em dezembro do ano passado, ela figurou na capa da revista “Forbes” sobre jovens talentos brasileiros e respondeu às críticas dizendo que ganhava tanto quanto o então marido. E em 2018, Luísa também sofreu hostilidades misóginas ao lançar o clipe “Rebolar”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •