Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Veja – O terremoto de 5,6 graus na escala Richter que atingiu na terça-feira 24 a região da Caxemira controlada pelo Paquistão deixou pelo menos 24 mortos e 452 feridos, após o encerramento dos trabalhos de resgate.

A informação foi confirmada pelo porta-voz da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres da região, Nouman Hussain. Ele afirmou que os trabalhos de resgate foram finalizados durante a madrugada e que as autoridades estão preparando um relatório sobre os danos às infraestruturas.

O Exército informou, em comunicado, que três pontes foram danificadas pelo terremoto e várias estradas que ficaram bloqueadas começaram a ser reparadas por engenheiros militares.

O terremoto aconteceu ontem, perto da cidade de Mirpur, de 450.000 habitantes, no início da tarde, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês0. Inicialmente o terremoto foi registrado como um tremor de 5,8 graus, mas depois foi reduzido para 5,6 graus.

O tremor foi sentido em todo o país, nas cidades de Peshawar, Lahore, Murree e na capital Islamabad. As televisões locais transmitem imagens de estradas rachadas e paredes destruídas pelo tremor.

O terremoto aconteceu a 22 quilômetros da cidade de Jehlum, na Caxemira controlada pelo Paquistão, em uma profundidade de dez quilômetros.

Um porta-voz da Polícia local, Irfan Saleem, disse que alguns canais de água se romperam, provocando inundações em alguns povoados, e ainda relatou que o tremor danificou edifícios e provocou cortes no fornecimento de energia.

No vilarejo de Sahankikri, nos arredores da cidade de Mirpur, moradores afirmaram que quase todas as 400 casas foram destruídas. “Estamos sem teto agora”, disse Shamraiz Akhtar.

Para auxiliar nos resgates, as Forças Armadas do Paquistão enviaram tropas do Exército com suporte aéreo e apoio médico.

Um terremoto de magnitude 7,5 graus deixou 220 mortos, 1.656 feridos e danos em 10.586 imóveis, em 2014, no Paquistão, enquanto no ano passado outro similar matou 38 pessoas.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •