Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro manteve a quebra de sigilo fiscal e bancário do senador Flávio Bolsonaro, nesta terça-feira (04/02/2020). Votaram contra a concessão do habeas corpus as desembargadoras Monica Toledo Oliveira e Suimei Meira Cavalieri. O desembargador Antônio Amado foi vencido pelas duas no julgamento. As informações são de Metrópoles.

Na última semana, Amado votou para anular a decisão do juiz da 27ª Vara Criminal, Flávio Itabaiana, que determinou quebras dos sigilos bancário e fiscal de Flávio e outras 95 pessoas e empresas. O senador é investigado pela prática de “rachadinha“, como é popularmente conhecida a devolução de parte dos salários de funcionários.

De acordo com o Ministério Público, funcionários do gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) repassaram cerca de R$ 2 milhões para o então assessor Fabrício Queiroz. A suspeita do MP é de que os funcionários eram obrigados a devolver parte dos salários a Flávio.

Enquanto isso, tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido da defesa do senador para suspender totalmente a investigação.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •