Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, quer que sejam investigados os participantes de ato que simulou, com fogos de artifício, um bombardeio à Corte.

Foram acionadas por ele domingo (14) a Polícia Federal, a Procuradoria Geral da República e a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. Também o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news, que investiga ataques ao Supremo e outras instituições.

Toffoli cita na representação Renan da Silva Sena, que teria sido autor de lançamentos dos fogos de artifício. Apoiador de Jair Bolsonaro, ele eventualmente vai à porta do Palácio da Alvorada e hostiliza jornalistas. Também seria o responsável por agressão a enfermeiras que protestavam em Brasília.

Sena chegou a ser detido domingo (14). Segundo o Fantástico, da TV Globo, foi solto e indiciado por injúria. Em vídeo que registrou o lançamento dos fogos de artifício, ele insulta o governador de Brasília, Ibaneis Rocha, e o Supremo.

A simulação de bombardeio ao STF foi realizada por militantes bolsonaristas na noite de sábado (13). De manhã, apoiadores de Bolsonaro foram retirados de acampamentos na Esplanada dos Ministérios pelo governo de Brasília. À tarde, invadiram o telhado do Congresso Nacional.

Toffoli divulgou nota dizendo que a Corte não “se sujeitará” a ameaças como a realizada na noite de sábado. Leia a íntegra do texto publicado pelo presidente do STF:

“Infelizmente, na noite de sábado, o Brasil vivenciou mais um ataque ao Supremo Tribunal Federal, que também simboliza um ataque a todas as instituições democraticamente constituídas. Financiadas ilegalmente, essas atitudes têm sido reiteradas e estimuladas por uma minoria da população e por integrantes do próprio Estado, apesar da tentativa de diálogo que o Supremo Tribunal Federal tenta estabelecer com todos – Poderes, instituições e sociedade civil, em prol do progresso da nação brasileira. O Supremo jamais se sujeitará, como não se sujeitou em toda a sua história, a nenhum tipo de ameaça, seja velada, indireta ou direta e continuará cumprindo a sua missão. Guardião da Constituição, o Supremo Tribunal Federal repudia tais condutas e se socorrerá de todos os remédios, constitucional e legalmente postos, para sua defesa, de seus Ministros e da democracia brasileira.

Ministro Dias Toffoli

Presidente do Supremo Tribunal Federal”

Fonte Poder 360


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •