Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O traficante Messias Maia Sodré, preso ontem no bairro de Itaquera, Zona Leste de São Paulo, por policiais da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e com apoio do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra). Ele é apontado como um dos autores dos disparos que mataram o delegado Oscar Cardoso, executado no dia 9 de março deste ano com mais de 20 tiros.

Messias, após ser preso confessou ter sido o autor dos tiros que mataram o delegado e ainda teria dado os nomes de todos os participantes do crime. Diante da prisão dele algumas reviravoltas no caso poderão acontecer após a revelação dos detalhes que levaram a execução de Orcas Cardoso.

De acordo com informações de fontes do Fato Amazônico, Sodré, que foi indiciado pela morte de Oscar Cardoso, com base no reconhecimento de testemunhas e provas, chega a Manaus, na terça-feira.

Messias, que foi condenado a 9 anos de reclusão por tráfico de drogas em 2011, estava cumprindo a pena no regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, localizada no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus/Boa Vista.

Sodré, seria homem de confiança do traficante de droga João Pinto Carioca, o “João Branco, que para a polícia é o mandante da execução do delegado Oscar Cardoso.

A execução

Delegado da Polícia Civil Oscar Cardoso foi executado a tiros no dia 9 de março deste ano na Rua Negreiros Ferreira, bairro São Francisco, na Zona Sul de Manaus.

Oscar Cardoso, que coordenada a Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública, estava afastado das funções desde outubro do ano passado quando foi preso com mais seis policiais militares na Operação Tribunal de Rua, suspeito de comandar um grupo que praticava crimes como extorsão, sequestro, tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção ativa.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •