Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Por Rodrigo Bertolotto – Imagine um campeonato de futebol em que a musa do time é mais decisiva que o centroavante, salvando uma equipe que já estava eliminada. Não precisa imaginar: ele existe e se chama Peladão. Esse torneio de várzea é o próximo hóspede da Arena da Amazônia após o final da parte amazônica desta Copa do Mundo.

O glamour “padrão Fifa” se despediu de Manaus na última quinta (25/6) com a Suíça batendo Honduras por 3 a 0. E agora é a vez de entrar em campo o coquetel explosivo de testosterona e comoção popular que o Campeonato de Peladas do Amazonas promove todos os anos desde 1973. “O homem pensa em duas coisas: futebol e mulher. Nós juntamos as duas coisas e só poderia dar certo”, define Kid Mahal, coordenador do concurso de beleza do torneio.

A organização do Peladão fechou a utilização da moderna arena amazonense para a final do torneio amador. Também vai usar outro estádio reconstruído para Copa como local da abertura, cerimônia em que o ponto alto é o desfile de centenas de rainhas em uma passarela montada no meio da arquibancada.

A fileira interminável de mulheres parece saída de um desvario adolescente. A camiseta do time é amarrada na cintura para mostrar cintura, quadril e barriguinha. Pernas e bundas são besuntadas com óleo de amêndoa para ressaltar os dotes. O resto é um biquíni mínimo e muita maquiagem nos rostos de fortes feições indígenas.

Cada time inscrito é obrigado a ter uma rainha, e ela deve desfilar na abertura do torneio. Caso contrário, é eliminado sem mesmo entrar em campo. Só times formados por evangélicos podem dispensar o desfile de sua musa de biquíni.

Como qualquer um pode se inscrever, levando ao extremo a ideologia nacional de que todo mundo é um jogador de futebol, o time de gordinhos Barra Pesada F.C., por exemplo, inscreve sempre a miss mais cheinha de todas.

O regulamento não exclui ninguém. Pode ser menor de idade: já houve monarcas de 12 anos. Pode ser mãe, como a gari Márcia Lobo, 36, com cinco filhos em casa para criar. Pode se inscrever quantas vezes quiser, como Kelly Rodrigues que vai para sua décima participação em 2014.

“As meninas aqui são cheias de curva. Da cintura para baixo, elas são ótimas. Mas é da cintura para cima que a gente consegue selecionar. Tem que ser bonita e ter boa altura.” Quem explica o “padrão Peladão de beleza” é um dos criadores do torneio, o radialista Arnaldo Santos.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •