Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A jornalista Candisse Matos Correia foi contratada para trabalhar no gabinete do senador Rogério Carvalho (PT-SE) no dia 1º de fevereiro deste ano. Com salário de R$ 12 mil, ela exerceu a função de assistente parlamentar do vice-líder do PT no Senado por cerca de um mês. Depois disso, a pedido dele, foi relocada à Liderança da Minoria na Casa, passando a receber R$ 13.494,42.

Candisse afirmou ao Metrópoles, em longa troca de mensagens, que “priorizou” a saída do gabinete para a Liderança justamente por conta do envolvimento com o senador. Ela efetivamente foi exonerada do gabinete e relocada. Uma resposta oficial do Senado, enviada pela assessoria de imprensa da Casa na noite da sexta-feira (21/06/2019), porém, acrescenta um detalhe omitido pela assessora:

“A servidora citada foi nomeada para o cargo em comissão de Assistente Parlamentar Júnior, AP-09, do Gabinete do Senador Rogério Carvalho, com exercício no próprio Gabinete, tendo entrado em exercício em 04/02/2019; em 27/02/2019, ela foi exonerada do cargo em comissão de Assistente Parlamentar Júnior, AP-09, do Gabinete do Senador Rogério Carvalho, e nomeada para o cargo de Assistente Parlamentar Intermediário, AP-10, do Gabinete do Bloco da Liderança da Minoria no Congresso, com exercício no Gabinete do Senador Rogério Carvalho.”

Vinculada à liderança, trabalhou até o início do mês de junho deste ano – mas continuou atuando extraoficialmente na comunicação do petista. E, na sexta-feira, afirmou que, como o casal está com “pretensões futuras de oficializar a relação”, ela já teria se exonerado de qualquer função no Senado. Informações de fontes ligadas ao comando da Casa confirmam que a exoneração foi solicitada.

Candisse e Rogério Carvalho começaram o relacionamento no ano passado, quando a comunicadora coordenou parte de sua campanha ao Senado. Nas redes sociais, ela comemorou a vitória do senador, que está em seu primeiro mandato, com uma declaração de amor. Depois disso, veio trabalhar com ele em Brasília. Jornalista experiente em Sergipe, a ex-assistente parlamentar sustenta que, agora, abandonou a carreira profissional para “não ser incorreta”.

“Sou jornalista e comunicadora há cerca de 18 anos e atuei até 2018 em veículos de comunicação em Sergipe. Naquele ano, aceitei o desafio de ser coordenadora de comunicação e marketing da campanha do então candidato Rogério Carvalho. Diante da trajetória vitoriosa que o garantiu uma vaga no Senado Federal, fui convidada a compor a equipe dele.

Depois, a Liderança do PT me acionou para atuar junto à comunicação, já que desenvolvíamos um trabalho de qualidade. Na convivência com o senador, me envolvi com Rogério. Por causa disso, priorizei a saída do gabinete. Agora, por causa das nossas pretensões futuras de oficializar a relação, me senti na obrigação de deixar este vínculo profissional, e já não ocupo qualquer vaga no Senado Federal”, explica.

Três semanas atrás, no entanto, Candisse Matos postou em seu perfil nas redes sociais que ainda trabalhava com o parlamentar, apesar de, à época, responder pela comunicação da Minoria no Senado (veja abaixo). No Facebook, esse também é o cargo que a comunicadora afirma exercer até o momento. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •