Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na última sessão ordinária 2019 do Tribunal de Contas de Contas do Amazonas, realizada na manhã desta quarta-feira (11), os conselheiros reprovaram as contas da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), de responsabilidade de Waldívia Ferreira e Orlando Augusto Vieira, do exercício financeiro do ano de 2009.

O relator do processo, conselheiro Mario de Mello, multou Orlando Augusto Vieira em R$ 13,6 mil e a Waldívia Ferreira em R$ 16,4 milhões (soma de multa e alcance), sendo que o alcance de R$ 4,2 milhões devem ser devolvidos aos cofres públicos no prazo de 30 dias solidariamente com empresa Tarumã Construções e Terraplanagem Ltda., e R$ 7,9 milhões com a empresa Construir Indústria de Cerâmica e Construções Ltda.

Entre os motivos que levaram a reprovação das contas dos ex-gestores então desfalques em extratos bancários em valores milionários, além da ausência completa de projeto básico consistente, assim como ausência de especificações técnicas. Os ex-gestores ainda podem recorrer, mas tem 30 dias para devolverem o dinheiro ao erário.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •