Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A manutenção do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e a pavimentação da BR-319 foram defendidas na Câmara Federal, em Brasília-DF, pelo deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), na Audiência Pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (CDEICS), em conjunto com a Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA), na manhã da quarta-feira (3).

Presidente da Comissão de Indústria, Comércio e Zona Franca da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Wilker discursou em torno do tema “O novo projeto de desenvolvimento econômico para a região Amazônica proposto pelo Governo Federal, intitulado “Plano Dubai”. Deputados federais do Amazonas e representantes do Governo Federal participaram do debate.

Na visão do parlamentar, o ‘Plano Dubai’ surgiu para atrapalhar a vinda de novas empresas e investimentos para o Amazonas e o Norte do Brasil.

“Não há orçamento e projeção do Plano Dubai, qualquer número trazido pelo secretário é especulação. Temos gargalos estruturantes já mapeados anteriormente, que para qualquer plano tem que ser enfrentado, como a BR-319. É preciso pavimentar a BR-319 para termos um avanço. A nossa Zona Franca preserva a nossa Amazônia”, assegurou Wilker, após saber do Secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec), Carlos da Costa, que o ‘Plano Dubai’ não existe e que a matéria publicada pela Folha de São Paulo saiu de forma distorcida.

“Ainda não existe o plano Dubai. Houve uma publicação que desrespeitou um off de um jornalista. Nunca passou pela nossa cabeça acabar com a Zona Franca de Manaus. Queremos aprimorar, expandir e vamos divulgar na semana que vem para que os PPBs (Processo Produtivo Básico) sejam aprovados mais rapidamente e isso foi fechado com a Suframa. A realidade que temos é que a Zona Franca é estratégica, importante e essencial para o país, mas muito mais precisa ser feito para a ZFM e para o Estado. Queremos desenvolver a região de forma sustentável”, explicou.

Wilker ainda solicitou ao secretário para que o Governo Federal tranquilize o povo do Amazonas e o empresário que pensa em investir no Polo Industrial.

“Na economia a gente sabe que as palavras têm poder. Não se tem até agora uma nota por parte do Governo Federal para que tranquilize o segundo maior polo industrial do País. A notícia pode ter sido em off, mas o Governo não desmentiu e isso causou um efeito rebote perigoso no nosso modelo econômico, pois o retorno de um empresário é de 10 anos. Qual investidor vai querer fazer investimentos com notícias como essa? Ele precisa se mobilizar, planejar, construir… Imagina a pressão que o presidente da Suframa pegou com essa reportagem”, alertou.

‘Modelo machucado’

Wilker aproveitou para afirmar que a Zona Franca está sendo machucada na gestão do presidente Bolsonaro e pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes.

“Eu votei no governo Bolsonaro, mas em seis meses nunca vi o modelo Zona Franca ser tão machucado e penalizado. O Exército Brasileiro, o Coronel Menezes, sabe a importância deste modelo, e estamos sendo de maneira silenciosa machucados e perdendo postos de trabalhos”, afirmou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •