Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O governador do Amazonas, Wilson Lima, esteve reunido, nesta terça-feira (9/7), em Brasília, com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Na pauta, a recuperação da BR-319 (que liga Manaus a Porto Velho). O presidente Jair Bolsonaro mostrou interesse em participar da caravana pela rodovia programada para acontecer ainda este ano.

Durante a reunião ficou acertado a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) entre Ministério do Meio Ambiente, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) para agilizar o processo de licenciamento ambiental, hoje o principal entrave para o recapeamento da rodovia.

De acordo com o governador Wilson Lima, a reunião foi extremamente produtiva, uma vez que as demandas do Estado foram encaminhadas pelo Governo Federal de forma célere. “Nós tivemos uma primeira reunião em Parintins, durante o Festival Folclórico, e essa aqui foi resultado desse alinhamento. O ministro está muito disposto a nos ouvir e a discutir as soluções em conjunto, sobretudo, no que se refere a BR-319, que é hoje uma das nossas prioridades”, destacou Wilson Lima.

“Para a nossa surpresa o presidente passou pelo Ministério do Meio Ambiente no momento em que estávamos reunidos e entrou e participou da nossa reunião. Aproveitamos para voltar a tocar nas demandas do Amazonas, falamos da ideia de percorrermos a BR-319 e ele se interessou em entrar na caravana, esperamos que essa intenção que ele demonstrou amadureça. Para nós vai ser um prazer”, declarou o governador.

“O principal foco do acordo de cooperação técnica é a gente criar um elo participativo da atuação do Governo do Amazonas nessa questão do destravamento das licenças ambientais necessárias para o avanço da BR-319. O ACT é um instrumento administrativo favorável para que o Estado esteja mais presente nas decisões que competem ao Governo Federal. Hoje quem faz a obra é o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte) e quem licencia é o Ibama, o Governo do Estado ficava na expectativa das ações”, explicou o diretor-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente.

ZZE do Purus – Outra demanda do Amazonas encaminhada pelo ministro do Meio Ambiente, diz respeito à aprovação do Zoneamento Ecológico Econômico da Calha do Purus. O ministro Ricardo Salles garantiu que ainda nesta terça-feira iria encaminhar o projeto para apreciação da Casa Civil.

“O Zoneamento Ecológico Econômico da Calha do Purus ordena a questão produtiva e ambiental numa área muito sensível do Estado do Amazonas e vai ser um golaço para destravar o desenvolvimento daquela região, além de apontar mecanismos e modelos para os próximos, em especial a área do Madeira, do Baixo Amazonas e também da Região Metropolitana de Manaus”, explicou o secretário da Sema, Eduardo Taveira.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •