Foto: Agência Brasil
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi às redes sociais criticar o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) frente à pandemia do novo coronavírus. Com informações de Metrópoles.

Após encontro entre o presidente e governadores da Região Sudeste, que terminou em bate-boca, Witzel destacou ser possível ressuscitar a economia, mas não pessoas. “Não queremos acabar com as empresas, exterminar empregos. Queremos preservar vidas”, escreveu nesta quarta-feira (25/03) o governador carioca.

Witzel garantiu, ainda, que não está no cargo para fazer política, mas para governar. “Espero que o presidente mantenha o diálogo aberto com o RJ”, prosseguiu.

“Demagogias baratas”
Bolsonaro afirmou que medidas adotadas por Witzel e pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para conter o avanço da epidemia do coronavírus são “demagogia barata”.

“Estão arrebentando com o país, estão destruindo empregos aqueles caras que falam ‘a economia é menos importante do que a vida’”, atacou.

Reunião com governadores
Mais cedo, Bolsonaro e Doria protagonizaram um embate durante videoconferência, na manhã desta quarta-feira (25/03).

Doria criticou o pronunciamento de Bolsonaro em rede nacional, nessa terça-feira (24/03), e cobrou exemplo. Na ocasião, o presidente pediu o fim do “confinamento em massa”.

Após considerações do governador João Doria, que destacou que São Paulo tem 810 casos confirmados e 40 mortes por Covid-19, Bolsonaro se exaltou e atacou o tucano.

“Vossa Excelência começa a atacar covardemente aquele que emprestou o nome para a campanha. Guarde essas observações para as eleições de 2020”, criticou Bolsonaro.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •